ATENDIMENTO (19) 3565-7490

  1. 30/10/2019 13:22

    “O que mais me chamou a atenção foi o fato de ser um dia de outubro atipicamente Cavok”. Com essas palavras, o Coronel Aviador Marcelo Gobett Cardoso nos conta um pouco da experiência em ser um dos doze pilotos da Esquadrilha da Fumaça a participar da quebra do recorde mundial, utilizando um termo da aviação para se referir a um céu com boas condições de visibilidade e teto das nuvens. Há trezes anos, no dia 29 de outubro de 2006, a Esquadrilha da Fumaça quebrou pela terceira vez o recorde mundial de número de aeronaves voando, simultaneamente, em formação e no dorso (de cabeça para baixo). O feito foi assistido por cerca de 60.000 pessoas na Academia da Força Aérea e homologado pelo Guinness World Record. Os dois recordes anteriores também pertencem a Esquadrilha da Fumaça, sendo que o primeiro feito ocorreu com 10 aeronaves em 1996 e o segundo em 2002, com 11 aeronaves durante as comemorações de 50 anos do Esquadrão. A data escolhida para o terceiro recorde não foi por acaso: naquela mesma semana a Força Aérea Brasileira comemorava o centenário do primeiro voo com o 14-Bis realizado pelo brasileiro Alberto Santos Dumont, em 1906, na capital francesa, Paris. Apesar do aumento de apenas uma aeronave na formação, a manobra exigiu muito mais do time, pois foi formada mais uma linha de aeronaves (em relação ao recorde anterior) T-27 Tucano. Conforme explica o Coronel Gobett, que voou na posição #7 durante a manobra, a técnica foi a mesma empregada no recorde anterior, “mas os parâmetros foram diferentes para que os aviões da última linha tivessem energia e manobrabilidade suficientes para manterem a velocidade e posição”. Explica que um dos pontos críticos da manobra foi a transição do voo normal para o voo invertido por meio de um “meio-looping” para chegarem à posição para o recorde. “A margem de erro era menor e era necessário um trabalho mais preciso nos comandos e motor, por isso, a maior exigência nos treinamentos”, completa o Coronel. Curiosamente, ele havia saído três anos antes do efetivo da Esquadrilha da Fumaça, que possuía 11 pilotos, e foi convidado para ser o 12º exclusivamente para a nova marca. Quem estava na última linha de aeronaves era o Coronel Aviador Ricardo Beltran Crespo, na posição #12, fechando o grupo de aeronaves para o recorde mundial. Conta-nos que apesar de todo o profissionalismo, técnica treinada e doutrina durante o voo, após o pouso, foi tomado pela emoção. “Confesso que, após o corte do motor e ao abrir o canopy do Tucano, toda a alegria e vibração daquele imenso público me contagiaram. O ser humano em mim, enfim, simplesmente chorou de gratidão e emoção”. Apesar das suas 276 demonstrações realizadas durante os anos de 2003 e 2006, esse voo, em particular, marcou a sua vida. “Por aquele momento eternizado, agradeço aos meus 11 amigos que dividiram comigo aquele espaço aéreo durante os 30 segundos daquele voo. Muito obrigado aos pilotos Fumaceiros, Anjos da Guarda e equipes de solo que viabilizaram esse recorde com muito carinho, hoje eternizado em nossas vidas”. Apesar da homologação no mesmo dia, apenas em 2017 é que a Esquadrilha da Fumaça recebeu o certificado pelas mãos do diretor do Guinness na América Latina, Carlos Martínez. Na ocasião, relatou a sua felicidade de poder conhecer de perto a equipe e parabenizar pelo recorde. “É impressionante e espetacular o que a equipe fez em 2006 de voar, simultaneamente, com doze aviões em voo invertido”. Passados 13 anos após o recorde com as doze aeronaves, nenhum outro Esquadrão no mundo bateu tal marca.

  2. 28/10/2019 13:58

    Com dois dias de evento e cerca de 60.000 pessoas, a Esquadrilha da Fumaça participou, neste sábado e domingo, do Musal Airshow, na capital fluminense. O local do evento, o Museu Aeroespacial, é o berço da aviação militar no país e é, também, onde o Esquadrão teve a sua origem, há 67 anos. Marcado por diversas atrações aéreas e em solo para todas as idades, o evento fecha o calendário de Portões Abertos da Força Aérea Brasileira (FAB), que concentra no mês de outubro boa parte das suas festividades relacionadas ao Dia do Aviador e da FAB, comemorado no dia 23. "Foi a primeira vez que assisti a uma demonstração da Esquadrilha da Fumaça. Achei simplesmente incrível! Foi pura emoção!", nos conta a estudante de Administração e moradora do Rio de Janeiro, Débora Morato. "Tenho que agradecer a Esquadrilha da Fumaça por mais uma ano e me emocionar com a apresentação", também nos conta o Helmut Brandt, morador da cidade. Após pouco mais de quatro anos no Esquadrão e ser a primeira mulher mecânica da equipe, a Sargento Rogéria Marin Pimentel, Anjo da Guarda especialista em Equipamentos de Voo, realizou a sua última missão pela Esquadrilha da Fumaça neste final de semana. "É um momento com um misto de tristeza e de alegria para mim. Tristeza, porque deixo este Esquadrão que eu amo e que me deu muitas oportunidades para cumprir o meu trabalho. Felicidade, porque encerro a minha missão e um ciclo da minha carreira, para começar outro". Ela segue agora para a cidade de Natal/RN, na Ala 10 da Força Aérea Brasileira. O evento marcou o último deslocamento da Fumaça para demonstração na temporada de 2019, sendo que a próxima apresentação, prevista para o dia 25 de novembro, em Campinas/SP, será operada a partir de Pirassununga/SP, sede do Esquadrão. Para mais detalhes e acompanhar a rotina da Fumaça, acesse também o seu Facebook, Instagram, Twitter, Youtube e Flickr.

  3. 28/10/2019 13:56
    Por conta das celebrações do Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira (FAB), a FAB realiza no mês de outubro uma série de eventos Portões Abertos em suas unidades, espalhadas pelo território nacional. Nos dias 26 e 27 de outubro, o calendário de 2019 desse evento se encerra no Museu Aeroespacial, localizado na cidade do Rio de Janeiro, com participação da Esquadrilha da Fumaça em ambos os dias. A 3ª edição do Musal Airshow, como é conhecido, conta com diversas atrações aéreas e em solo a partir das 8h nos dois dias no Museu Aeroespacial, no Campo dos Afonsos. Além de todo o acervo de aeronaves históricas do museu e da possibilidade de conhecer várias por dentro, o evento conta com apresentações acrobáticas de pilotos e aeronaves civis. Também fazem parte da programação o salto dos paraquedistas do Grupo Falcões, da FAB, paraquedistas do Exército Brasileiro, caça AF-1 da Marinha do Brasil, apresentação de banda militar da Base Aérea dos Afonsos, além de atividades infantis. A programação completa pode ser conferida no site do evento. A partir das 16h do sábado e do domingo, o público presente acompanhará as sete aeronaves A-29 Super Tucano da Esquadrilha da Fumaça em quase uma hora de apresentação, com 50 manobras e acrobacias. “Estamos muito honrados em receber, pela primeira vez, duas apresentações da Esquadrilha da Fumaça que, com certeza, abrilhantará ainda mais o Musal Airshow 2019”, afirma o Diretor do Museu Aeroespacial, Brigadeiro Luiz Carlos Lébeis. Encerrando as demonstrações do mês de outubro, juntamente com o último evento Portões Abertos da FAB do ano, a Esquadrilha da Fumaça também caminha para o encerramento da sua temporada de demonstrações. No mês de novembro, o Esquadrão segue a sua rotina administrativa e de treinamentos, com uma demonstração prevista para o dia 25 na cidade de Campinas/SP, a menos de 100km da capital do paulista. A agenda completa da Esquadrilha da Fumaça, assim como detalhes dos locais e horários, pode ser consultada em seu site oficial. Para mais detalhes e acompanhar a rotina da Fumaça, acesse também o seu Facebook, Instagram, Twitter, Youtube e Flickr.
  4. 23/10/2019 10:12
    No final de semana dos dias 19 e 20, a Esquadrilha da Fumaça participa de dois Portões Abertos da Força Aérea Brasileira (FAB), nas cidades de São José dos Campos/SP e na capital Paulista. Os eventos têm entrada gratuita e programação ao longo dos dois dias. Localizada a 90km da capital paulista, em São José dos Campos, o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) é um dos grandes departamentos da FAB e responsável pelo desenvolvimento científico e tecnológico. Instituições que são referências mundiais em tecnologia estão inseridas no DCTA, como o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) e Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo (IPEV), dentre outros. É nesse cenário que o público poderá participar do seu Portões Abertos, que recebe a população no sábado e no domingo. A demonstração da Esquadrilha da Fumaça no DCTA ocorre às 15h do dia 19, com previsão de quase uma hora de envolvimento, em que os presentes poderão acompanhar desde a chegada da equipe, amarração dos pilotos, acionamento das aeronaves, as cerca de 50 manobras aéreas, até o pouso. Na manhã seguinte (20), toda a equipe decola para um breve deslocamento até a cidade de São Paulo, para participar das atividades do Parque de Material Aeronáutico (PAMA-SP), unidade da FAB responsável por manutenção de aeronaves, como o caça F-5, e de motores. A capital Paulista possui o maior tráfego aéreo do país e possui a quinta ponte aérea mais movimentada do mundo, a Rio – São Paulo, de acordo com a OAG – agência internacional de informações sobre aviação. Somente entre as duas cidades, são registradas aproximadamente 40.000 decolagens por ano. Curiosamente, a capital disputa com Nova Iorque também como a cidade com a maior frota de helicópteros do mundo. Durante a demonstração, a Esquadrilha da Fumaça utiliza uma “arena” sobre uma área de 250km² para realizar a sua apresentação aérea. Por esses motivos, para gerar menor impacto sobre esse tráfego aéreo movimentado da cidade, a duração da demonstração é reduzida para 10 minutos. A partir das 15h40, o público acompanha de perto toda a movimentação dos pilotos, mecânicos e aeronaves no pátio do PAMA. Às 16h, as sete aeronaves A-29 Super Tucano decolam para a realização de manobras e acrobacias, que o público poderá conferir de perto, sobre a capital. A Esquadrilha da Fumaça caminha para o fim da sua temporada de demonstrações de 2019. A agenda completa e mais detalhes podem ser conferidas no site oficial do Esquadrão. Para mais detalhes e acompanhar a rotina da Fumaça, acesse também o seu Facebook, Instagram, Twitter, Youtube e Flickr.
  5. 11/07/2018 16:40
    As demonstrações aéreas na Baixada Santista contaram com um público bastante animado que tiveram a oportunidade de assistir às 40 acrobacias da Esquadrilha da Fumaça neste último final de semana. No dia 30 de junho, cerca de 10 mil pessoas assistiram à apresentação em Guarujá. E em Itanhaém, foram oito mil pessoas. O jornalista Fábio Garcez, de Guarujá, elogiou a apresentação. “Eu me sinto muito orgulhoso de ser brasileiro e poder assistir a esse espetáculo dos pilotos da Força Aérea Brasileira”. Outra moradora de Guarujá, Beatriz Bucciano, também comentou sobre as manobras. “A demonstração da Esquadrilha é uma motivação enorme para todos nós, principalmente, para as crianças, que tem o contato com a Força Aérea Brasileira e podem se interessar em trabalhar na área do militarismo ou da aviação. Pela quarta vez assistindo às acrobacias da Fumaça, o morador de Itanhaém, Alessandro Garcia, comenta que a manobra que mais admira é o Coração. “A Fumaça é uma instituição de grande valor que merece fazer parte da história do Brasil”. Texto: Ten Cocate Revisão: Cap Grothe Fotos: Luciano Neto

Itens 1 para 5 do 6 total

Direção Descendente